Projeto de Diretrizes Orçamentária engavetado prejudica população paulista

No momento de retração econômica, desemprego e elevação de custo de vida, o orçamento provoca preocupação em qualquer cidadão. Mas, aqui na Assembleia Legislativa paulista, a indefinição do Orçamento do Estado não abala os deputados governistas, sejam eles da ala João Dória, pré-candidato do PSDB ou, a turma do Marcio França, atual governador que pretende permanecer no comando do Estado.
  
No final do mês de maio, chegou à Assembleia Legislativa o Projeto de Diretrizes Orçamentária 2019 (LDO). Essa propositura aterrissou no Poder Legislativo em regime de urgência, o que significa tramitação acelerada no prazo de 45 dias.

Há meses, o Projeto da Lei, que oferece bases para a elaboração do Orçamento do maior Estado do país, está engavetado em razão das disputas entre os caciques, que estiveram no mesmo campo até meados do mês de abril e, agora estão momentaneamente em lados opostos, desafetos artificiais, separados pela disputa eleitoral.

O Projeto de Diretrizes Orçamentárias, antes de entrar em votação, deve ser analisado e deliberado na Comissão de Finanças e Orçamento.

Agosto já abriu alas e até o momento foram 31 convocações da Comissão de Finanças e Orçamento, para discutir a peça e as sugestões dos partidos. O saldo dessas convocações foi inócuo, por total ausência de interesses dos deputados governistas.

O imbróglio é fruto da falta de diálogo entre os caciques que sempre estiveram divorciados dos interesses e realidade do povo.

Este sim, o povo sabe o quanto é difícil enfrentar a dureza do desemprego, recessão e o quanto o Orçamento Público é importante para oferecer políticas públicas de qualidade, que seja indutor do desenvolvimento e possibilite geração de emprego, principalmente neste momento de crise econômico no nosso país.

Luiz Claudio Marcolino


Saiba mais sobre orçamento público (Vídeo: Senado Federal)

Vídeos