Marcolino denuncia a entrega da CESP para o setor privado

Nesta sexta-feira (19), o dirigente sindical Luiz Claudio Marcolino denunciou em frente à Bolsa de Valores de São Paulo, a quinta tentativa de privatização da CESP (Companhia Energética de São Paulo), vendida para o Consórcio São Paulo Energia, formado pela Votorantim Energia e o fundo canadense CPPIB.

O certame foi realizado no mesmo dia em que o Tribunal Federal Regional da 3ª Região (TRF3) concedeu mandado de segurança suspendendo a decisão da Justiça Federal de Presidente Prudente do dia anterior que colocava em risco a realização do leilão.

“Conseguimos defender nosso patrimônio até aqui, mas, após decisão judicial, a venda da CESP foi liberada. Quem sai prejudicada é a população, pois o governo diz os serviços vão melhorar, mas não é o que acontece. A gente é quem paga essa conta”, afirma o dirigente.

Marcolino alerta que quem vendeu a CESP é o governo do PSDB que está há mais de 24 anos em São Paulo e vendeu todas as empresas públicas do Estado.

“As eleições mexem com a vida das pessoas. O preço da luz, do gás, dos alimentos é política. Por isso é necessário votar em representantes da classe trabalhadora. O Estado de São Paulo escolheu dois senadores, por exemplo, que votaram para retirar nossos direitos. Mas ainda temos a oportunidade em âmbito federal de escolher o candidato que melhor nos represente e este é o companheiro Haddad.”

Texto: Mariana Valadares (MTB: 43155/SP) com informações Valor Econômico
Foto: Mariana Valadares
19.10.2018 - Ato contra a Privatização da CESP

Vídeos